Ushuaia – Diário de viagem – dia 3 – De Buenos Aires a Sierra de la Ventana

Em uma viagem de 16 dias, passando por 14 cidades diferentes, com a intenção de chegar no fim do mundo, era de se esperar que em algum momento a gente passasse por maus bocados, né? Viagem boa é assim, quando a gente consegue superar os obstáculos com um sorriso no rosto – depois do momento de desespero total. Ah! Hoje pela manhã, no checkout, o hotel devolveu o valor do IVA que foi cobrado indevidamente ontem e ainda nos bonificaram com o valor do estacionamento, que era R$ 20,00. Se você não leu o bafafá com o hotel, clica aqui e vem ficar por dentro!

Fomos do lixo ao luxo em apenas 673 km. Depois de fugir dos percevejos em Buenos Aires, saímos lá pelas 10h30 para trocar nossa bufunfa. Pesquisamos bastante enquanto estávamos no Brasil e o melhor câmbio ficou com o pessoal da Mais Brazucas, com sede em Buenos Aires. Trocamos apenas o necessário em Curitiba, na Confidence do ParkShopping Barigui. Calculamos o que seria suficiente para passar dois dias (sábado e domingo) por aqui, usando pesos argentinos. Na Mais Brazucas, conseguimos a cotação de AR$ 9,80 para cada real. A sede deles fica no centro de Buenos, na Calle Florida. Nessa rua vai chover gente te oferecendo câmbio. Mas se conselho fosse bom a gente dava, né? Só troque dinheiro com quem você confia. A Argentina é famosa pelo grande número de notas falsas circulando por aqui.

Notas peso argentino

Dinheiro na bolsa – tenho que dizer que mesmo sabendo que o peso argentino vale muito menos que o real, me senti muito ryka com todas aquelas notas na bolsa, tá? – fomos até o Carrefour Express garantir a nossa ceia de Natal. Como viemos para um hotel bem afastado e com uma ceia que estava fora do nosso budget, o Carrefour garantiu os frios e o vinho.

Pegamos a AU 1 25 de Mayo para sair de Buenos Aires sentido Sierra de la Ventana. Já na saída, pagamos R$ 6,30 no primeiro pedágio. Estávamos com meio tanque de gasolina, então já aproveitamos para abastecer em um posto Shell pertinho do pedágio, com gasolina a R$ 3,70 o litro. O segundo pedágio foi 15km depois, com tarifa de R$ 3,00, assim como o terceiro pedágio, mais 15 km depois. 

estrada au 1

estrada argentina au 1

Para variar e para confirmar de vez nossa teoria de que a Argentina é uma linha reta sem fim, a estrada – até uns 100 km antes do destino final – foi mais uma daquelas sem curvas, sem emoções, sem paisagens de tirar o fôlego. Tudo muito igual, com postos de gasolina a cada 100/150 km, quando chegava em alguma zona urbana. Passando por Cañuelas, outro pedágio por R$ 5,50. Em La Flores, cidadezinha no caminho, você pode garantir a tal famosa Parrilla. Na beira da estrada mesmo, você encontra diversos lugares servindo. Não posso te dizer se é boa ou não, pois não provamos – ainda.

Pegamos um bom ritmo e passando por Peaje el Hinojo, adivinha? Mais um pedágio de R$ 5,50. Em Hinojo também abastecemos novamente – usou meio tanque, encheu meio tanque, lembra? – e pagamos bem mais caro na gasolina: R$ 4,41 o litro. Nesse posto, compramos 3 empanadas muito saborosas, de carne moída com ovos. Fica a dica.

De repente, quando tudo parecia não mudar nunca mais, quando perdermos as esperanças de viajar curtindo várias paisagens, elas começaram a aparecer, tímidas, lá no fundo da paisagem. Foram ganhando corpo a medida que íamos nos aproximando. As montanhas de Sierra de la Ventana! Ufa! Vamos mudar de paisagem. E que paisagem! A estrada ficou linda e a gente parava de 5 em 5 km para tirar foto e fazer alguns vídeos.

Chegando em Sierra de la Ventana

Sair do carro por aqui foi uma grande aventura. Pense em uma quantidade absurda de passarinhos loucos para comer a quantidade absurda de insetos na estrada. Agora multiplique isso por 10 e ainda assim não chegará nem perto. Ficar abobalhado com a paisagem, só de boca fechada, pra não entrar nada. Mas valia cada respirada funda pra prender o ar em seguida. Paisagem bonita assim, só tinha visto na Toscana.

Hoje é noite de Natal e nós estamos no melhor hotel que reservarmos para a viagem. Queríamos ter uma noite juntinhos, tranquilos e aproveitando o momento. Escolhemos o Hotel Provincial, um hotel, spa e golf. Camas e banho confortáveis, atendimento excelente e uma paisagem que mesmo colocando mil fotos aqui, não pra entender a beleza desse lugar. Como já mencionei, o hotel oferecia a ceia de Natal, mas ficou algo em torno de R$ 100,00 por pessoa, um pouco fora do nosso orçamento. Assim que chegamos por aqui, garantimos mais algumas delícias no mercadinho da cidade e vamos aproveitar para descansar, comendo nossos quitutes de Natal.

Hotel Provincial Sierra de la Ventana

Hotel Provincial Sierra de la Ventana

Hotel Provincial Sierra de la Ventana

Hotel Provincial Sierra de la Ventana

Desejamos a todos os viajantes uma excelente noite de Natal com aqueles que amam – seja pessoalmente, com vídeo chamada, ligação ou apenas em pensamento. Queremos que esses momentos sejam muito mais que a troca de presentes. Queremos e amamos a pura e simples troca de experiências. Converse com a família, converse com aquele tio chato do “Pavê ou pacumê”. Conversa com a gente! Como foi o seu Natal?

Boa noite e muito HO HO HO pra vocês.

 

Obs: Valores em real, com o câmbio do dia 24/12/2018.
Mais ou menos 10/1.

 

Leia o Diário de Viagem – DIA 2 – De Paso de los Libres a Buenos Aires

Leia o Diário de Viagem – DIA 4 – De Sierra de la Ventana a Trelew

Share: